Perguntas e Respostas

Quais são as precauções a serem observadas durante a realização de exames radiológicos na Odontologia ?

Resposta: Durante a realização das tomadas radiográficas é obrigatório o uso de avental de chumbo para limitar o efeito da radiação às regiões de interesse. Não é permitida a permanência de acompanhante no momento do exame devido à sua exposição desnecessária à radiação. Caso seja imprescindível a permanência do acompanhante, este deverá vestir um avental de chumbo para sua própria proteção. O paciente deve retirar todos os objetos metálicos como brincos, piercings, grampos de cabelo, próteses dentais removíveis, antes da realização do exame radiográfico, pois estes objetos podem gerar imagens que irão interferir na região em análise. Solicita-se que o paciente esteja em jejum alimentar por pelo menos 2 horas para evitar desconforto ou náusea durante a moldadem dos arcos dentais. Solicita-se o uso de vestimenta sem gola alta que cubra o pescoço bem como a retirada de brincos e próteses dentais removíveis para a realização das fotografias extrabucais e intrabucais. O cabelo deve estar preso para que o contorno do pescoço e as orelhas apresentem visibilidade adequada. Para o registro correto da condição dental e gengival do paciente nas fotografias intrabucais é imprescindível que o paciente esteja com os dentes livres de placa bacteriana ou detritos alimentares. Para isso solicita-se a escovação prévia dos dentes e que o paciente traga sua escova de dentes pois poderá ser solicitado nova escovação.

Que exames fazem parte das Radiografias Intrabucais ?

Resposta: Radiografias Intrabucais A) Radiografia Periapical: O exame periapical pode ser feito em um elemento dental ou até da boca toda, quando teremos uma série de 14 películas visualizando todos as regiões dos arcos dentais da maxila e mandíbula (Levantamento Completo Periapical).; B) Radiografia Interproximal: Também conhecida como técnica bite-wing está indicada principalmente para pesquisa de cárie nas superfícies proximais, visualização da adaptação de coroas e restaurações, identificação de excessos marginais, presença de cálculos interproximais e exame das cristas alveolares. Nesta técnica radiográfica as coroas dentais e cristas alveolares da maxila e mandíbula são visualizadas simultaneamente na mesma película; C) Radiografia Oclusal: Utiliza filme radiográfico em dimensões maiores ao utilizado na técnica periapical quando se tem a necessidade de avaliação em maior extensão de uma região. Esta técnica está indicada para pesquisa dentes inclusos, supranumerários, estudo de grandes áreas patológicas, fendas palatinas, fraturas, cálculos das glândulas submandibulares, expansão palatina.

Que exames fazem parte das Radiografias Extra-bucais ?

Resposta: Radiografias Extra-bucais A) Radiografia Panorâmica : O exame panorâmico é de fácil execução e permite a avaliação do complexo maxilo-mandibular com reduzida dose de radiação. Como exame inicial ou de rotina, tem indicação em todas as especialidades da Odontologia. Nesta incidência pode ser avaliada a presença de agenesias, supranumerários, o desenvolvimento dos germes dentes presentes, a posição dos terceiros molares e de patologia do folículo pericoronário; de cáries, próteses, restaurações, lesões no periápice; reabsorções ósseas alveolares; posicionamento do assoalho do seio maxilar, fossa nasal, condutos mandibulares e forames mentonianos com finalidade de implantes; de raízes residuais, fraturas ósseas, patologias; B) Telerradiografia Lateral: É uma radiografia lateral do crânio onde a cabeça do paciente é posicionada perfeitamente em perfil através do cefalostato. Junto às estruturas ósseas do crânio também visualiza-se as partes moles do perfil. Este procedimento é empregado principalmente na ortodontia e cirurgia maxilofacial. Sobre esta incidência são realizadas análises cefalométricas onde avalia-se o padrão dento-esquelético- facial e o crescimento do crânio e da face. A análise cefalométrica de Rocabado utiliza a telerradiografia lateral com visualização da sétima vértebra cervical (C7); C) Telerradiografia Frontal: Nesta incidência busca-se examinar áreas no sentido póstero-anterior auxiliando junto com outras radiografias na localização de áreas patológicas, fraturas mandibulares, agulhas fraturadas, dentes inclusos, etc. Tem procedimento similar ao da Telerradiografia lateral quando o paciente é posicionado de forma frontal ao cefalostato. A análise cefalométrica frontal de Ricketts avalia a simetria facial; D) Telerradiografia 45º D e E: De procedimento similar ao da Telerradiografia lateral, esta incidência permite a medida dos diâmetros mésio-distais dos germes dentários de caninos e pré-molares inferiores para análise do espaço requerido; E) Radiografia de Mão e Punho (Indice Carpal ): É feita uma radiografia da mão e punho esquerdos para avaliação dos centros ósseos de crescimento, os quais servem como indicadores do estágio de desenvolvimento do paciente (idade óssea). A avaliação da idade óssea é feita pelo método comparativo de Greulich-Pyle. O estudo da Curva de Crescimento auxilia na determinação da época do Surto de Crescimento, dado importante para paciente em tratamento ortodôntico.

Qual a importância do Ultrassom morfológico?

Resposta: O ultrassom morfológico tem a finalidade de observar detalhadamente todo o corpo do feto e todos os seus órgãos. Exame ideal entre 18 a 24 semanas de gestação.

Crianças podem fazer ressonância e tomografia?

Resposta: Crianças pequenas podem necessitar de anestesia, pois o exame requer imobilidade total. Nestes casos, o serviço fornecerá todas as informações necessárias aos pais ou responsáveis pela criança.

Em casos de claustrofobias?

Resposta: Extremos casos de claustrofobias em adultos, embora raríssimos, podem necessitar de auxílio de um anestesista, se for o caso de Ressonância pode ser feita em um aparelho de campo aberto.

Quais os tipos de materiais de contraste?

Resposta: Os materiais de contraste podem conter uma estrutura química que inclui o iodo, um elemento químico presente na natureza. Estes materiais de contraste podem ser injetados dentro das veias ou artérias. O gadolínio é o principal componente do material de contraste utilizado na maioria das vezes nos exames de Ressonância Magnética.

Como os materiais de contraste agem no organismo?

Resposta: Quando os materiais de contraste iodado estão presentes em uma área específica do corpo, bloqueiam ou limitam a capacidade dos Raios – X em passar por aquela área. Como resultado, os vasos sanguíneos, órgãos e outros tecidos do corpo temporariamente contendo compostos de iodo mudam sua aparência em imagens de Tomografia Computadorizada. Quando a substância de Gadolínio (usado na Ressonância) está presente no corpo, altera as propriedades magnéticas de moléculas de água nas proximidades, aumentando a qualidade das imagens de ressonância.

A ressonância magnética usa radiação?

Resposta: Não, a ressonância magnética (RM) não usa radiação ionizante, como ocorre nas radiografias e tomografia computadorizada. É um exame inócuo, que se baseia simplificadamente, em campo eletromagnético e ondas de rádio. Pacientes grávidas com mais de 12 semanas de gestação já podem fazer este exame.

Tenho prótese. Posso fazer exame de ressonância?

Resposta: Próteses metálicas ortopédicas, dependendo de sua localização, não impede a realização de uma RM, apesar de poder haver prejuízo na qualidade da imagem. Mas há sim contra-indicações absolutas para esse exame: marca-passo cardíaco, clips metálicos cirúrgicos (dependendo da sua localização), implantes no ouvido (cocleares), entre outros. O melhor é perguntar sobre os riscos para o médico que fez a cirurgia para a colocação da prótese, clip ou implante ou se informar com a equipe da clínica radiológica.

Qual a diferença entre Ressonância Magnética e Tomografia Computadorizada?

Resposta: Ambos são métodos de imagem, que diferem, basicamente, pelo tipo de sinal utilizado na formação das imagens. A tomografia computadorizada (TC) possui um emissor de raios X, que emite radiação ionizante, enquanto a ressonância magnética (RM) utiliza um intenso campo magnético acoplado a um emissor de radiofreqüência, que emite os sinais sonoros.

Qual a importância da Mamografia?

Resposta: A mamografia é a principal arma no combate ao câncer de mama. Quando realizada dentro dos padrões ideais de qualidade é capaz de reduzir a mortalidade por esta patologia em torno de 30 a 50%. Lembrar que a ultra-sonografia é um excelente método complementar à mamografia, mas não pode substituí-la; e a partir dos 40 anos é mandatário a mamografia anual, que muitas vezes poderá necessitar do complemento ultra-sonográfico.

Qual a importância da Ultrassonografia Pélvica?

Resposta: A Ultrassonografia Pélvica é um método simples para visualizar os órgãos pélvicos da mulher, sobretudo o útero e os ovários. Atualmente está indicada principalmente nas pacientes virgens. Podemos avaliar as dimensões uterinas e ovarianas e detectar a presença de tumores e cistos.

Qual a importância da Densitometria Óssea?

Resposta: A osteoporose é uma doença esquelética, caracterizada por baixa massa óssea, levando a maior fragilidade dos ossos e conseqüente aumento do risco de fraturas. As mulheres estão especialmente em risco, pois entre os fatores como raça caucasiana ou asiática, história familiar, biótipo ( magra, baixa ), estão os fatores ginecológicos, tais como menarca tardia, irregularidade menstrual, histerectomia, lactação prolongada, etc. Devido a grande precisão e acerácea da Densitometria Óssea, fornecendo uma medida exata da densidade óssea na coluna vertebral e/ou no quadril, permitindo ao ginecologista tomar decisões objetivas sobre a necessidade de terapia de reposição hormonal, incluindo o tipo e a dose do medicamento. Exames repetidos, em intervalos de seis meses a um ano, quantificarão a adequação do tratamento e ajudarão a determinar se a dose hormonal ou a via de terapia necessitam de ajustes.

O que é a Ecografia Obstétrica 3D/4D?

Resposta: A gestante que quiser saber como é seu bebê dentro do útero, poderá visualizá-lo em imagens 3D e 4D realizadas no período entre 26 a 31 semanas. 4D são as imagens 3D em movimento. Através deste procedimento é possível visualizar a anatomia externa do bebê, sua face, sexo, movimento das pernas, braços e até mesmo expressões faciais (bocejo, sorriso). Todo o seu exame poderá se gravado em DVD (-R). Sempre procuramos fazer as melhores imagens, mas precisamos da cooperação dos bebês. Se o bebê estiver em uma posição desfavorável (por exemplo, de costas ou com rosto escondido atrás da placenta), podemos aguardar que ele se movimente, ou pedimos à gestante que aguarde um pouco na sala de espera para tentarmos novamente. No entanto, se isso não for possível, poderá ser feita uma complementação do exame em outra data, de acordo com a disponibilidade de horários da clínica. Nota importante: As imagens 3D/4D serão formadas quando houver quantidade adequada do líquido que fica em torno do bebê. Portanto, não será possível realizar este exame em oligo-hidrâmnio, ou seja, nas gestações onde há pouco líquido amniótico.

Ultra-sonografia Obstétrica e Ultra-sonografia Morfológica Fetal: Qual é a diferença?

Resposta: Uma grande dúvida das gestantes é a diferença entre os diversos exames de ultra-som que são realizados na gestação. Queremos aqui mostrar quais são as diferenças entre o exame obstétrico comum e o exame morfológico. Portanto o exame que avalia de forma mais completa a anatomia do bebê é o exame morfológico. Durante os exames morfológicos de 1º. e 2º trimestre é o momento onde o médico poderá avaliar de forma detalhada a formação do bebê.

Qual a importância da Ultra-sonografia Transvaginal?

Resposta: É o método ideal para avaliação dos órgãos internos da mulher não virgem. Trata-se de um exame mais preciso e detalhado do que o ultra-som pélvico. Muito importante para melhor avaliação de miomas, do endométrio e cistos dos ovários, a mesma pode ser realizada no período menstrual.

Qual a importância da Ultra-sonografia Obstétrica?

Resposta: No 1º trimestre da gravidez a ultra-sonografia têm sua importância para observar a vitalidade embrionária, determinar o tempo de gestação com maior precisão e fazer a medida da translucência nucal fetal para avaliar o risco do bebê ter a Síndrome de Down (realizado entre 11 e 14 semanas de gestação, o ideal é entre 11 e 12 semanas). No segundo trimestre a avaliação do desenvolvimento de todo o corpo, órgãos do feto e localização definitiva da placenta. No terceiro trimestre observa se o crescimento fetal está adequado para o tempo da gestação, verificar sinais de maturidade do feto e avaliar a quantidade do líquido amniótico.

Quem não pode fazer tomografia ou tomografia com contraste?

Resposta: Gestantes não devem realizar exames de TC antes do fim do terceiro trimestre de gravidez. Marca-passos, implantes, DIUs, não contra-indicam a realização do exame. Pacientes com insuficiência renal podem realizar exames de TC apenas sem contraste. Pacientes com história prévia de alergia aos compostos iodados também não devem realizar exames com contraste e pacientes portadores de asma brônquica devem receber cuidados especiais para a realização de exames contrastados (como antialérgicos). Pacientes em uso de medicação em geral não estão impedidos de se submeter ao exame, à exceção de diabéticos que os utilizam. Neste caso, o paciente deve suspender a medicação pelo menos três dias antes, para poder fazer exame com contraste.